A Física Quântica e a Espiritualidade

Vamos abordar aqui as áreas onde a física quântica e a espiritualidade se encontram. Isso acontece, por exemplo, quando físicos quânticos chegam às mesmas declarações que fazem velhos escritos eruditos e iogues.

“A primeira bebida do copo da ciência faz você ateu, mas no fundo da taça Deus está esperando.”
Werner Heisenberg (1901-1976)

A física clássica de Newton dizia que os átomos eram considerados as menores partículas mensuráveis e indivisíveis. A partir da virada do século, começa a física moderna ou física quântica e descobriu que os átomos consistem de um núcleo e uma concha, onde se pensava que no núcleo, a energia carregada positivamente prevalece e na concha elétrons carregados negativamente voam ao redor. Prótons, nêutrons e elétrons há muito são considerados as menores partículas elementares indivisíveis.

O físico Albert Einstein (1879-1955), segundo o qual matéria é igual a energia, tinha uma opinião diferente com a suposição de uma estrutura de partículas de luz (dualismo onda-partícula).

Mas foi Max Planck que estabeleceu a hipótese quântica em 1900, que forma a origem da teoria quântica. As pesquisas até o momento dizem que existem partículas e anti-partículas e, quando se encontram, formam um vácuo, e se anulam mutuamente. Por outro lado, algo pode emergir do vácuo, ou seja, partículas e anti-partículas. Seria o mundo é um vácuo flutuante? As partículas são núcleos de energia dura ou pacotes de ondas.

Assim, no final de toda a fragmentação tudo é energia. A matéria não existe como comumente pensamos. Existe apenas um mar de partículas e ondas umas mais sutis e outras mais densas.

Na base da nossa realidade material, consistimos em fótons de alta energia, as menores partículas de matéria conhecidas. Portanto, estamos em nossos padrões de essência de luz e informação que aparecem em padrões de interferência ou ondas (freqüências).

Assim, existe um segundo nível de realidade material, um plano de ondas que até agora só percebemos inconscientemente. Em outras palavras, não há matéria no sentido tradicional. A matéria é, por assim dizer, informação e energia formulada.

Nós somos constituídos de luz e informação, tudo é vibração e a matéria é energia.

“Tudo o que você vê no universo, tudo o que se move, trabalha ou está vivo é uma manifestação do prana. A totalidade da energia revelada no universo é chamada de prana.” (Swami Vivekananda)

Outro conceito-chave da física quântica: todos nós somos um com o nosso universo (que já está nos Upanishads) e inseparavelmente conectados pelo campo do ponto zero. O Campo de Energia de Ponto Zero é o oceano de partículas virtuais que subjazem a cada ponto do universo. Ao resfriar essas partículas até zero, de acordo com a teoria de Newton, não resta energia, mas na verdade ainda resta imensa energia naquele ponto zero (alguns pesquisadores chamam essa energia de mente de Deus).

Todos somos um.  Estamos conectados ao único espírito indivisível e somos parte dele.

Para os físicos existia a partícula ou a onda. Mas as pesquisas com a física quântica descobriram que a partícula e onda podem se transformar um no outro, como ocorre na experiência da dupla fenda do observador e do princípio da incerteza de Heisenberg onde um elétron se comporta como uma partícula, quando observado, e se não observado a partícula se comporta como uma onda.

“A divindade se esconde em todos os seres vivos, contudo, permeia tudo e é o ser mais íntimo de tudo. Ela realiza todos os trabalhos e tem sua morada em tudo. É a consciência testemunha, sem forma e imortal (…) Portanto, somos o que é o nosso desejo. Nosso desejo é a nossa vontade. Como nossa vontade é, nossas ações são. Como agimos, nos tornamos. (Upanishads)

Todas as partículas elementares são feitas do mesmo material, que denominamos energia ou matéria universal; são formas diferentes em que a matéria se manifesta. A energia é a substância da qual todas as partículas elementares, todos os átomos e todas as coisas são feitas, e ao mesmo tempo a energia é também movimento. De acordo com o modelo quântico, um elétron se move em espaços de probabilidade. Ele só se manifesta em uma órbita previsível como a observamos: no momento em que nossa consciência está prestes a ver o caminho do elétron, ela se materializa firmemente nessa realidade.

Ao interagir com o elétron, ele seleciona o caminho da probabilidade a partir das possibilidades ilimitadas, às quais nós o limitamos por nossa observação.  Vai de um comportamento aparentemente, imprevisível e ondulante na representação da realidade como uma partícula, se é que a vemos assim.

Através da observação e consciência, a onda “colapsa”.  “colapso:  objeto material aparentemente sólido (partícula) que se transforma em padrões de frente de onda e depois se transforma em uma nova forma material.” O processo de medição e a observação faz com que todas as ondas potenciais entrem em colapso em um caminho provável.

Focalizar nossa atenção pode fazer com que os padrões de interferência de ondas do que estamos focalizando se dissolvam e se reorganizem em um novo padrão. O processo de observação influencia o estado de coisas observado.

A consciência causa uma mudança, manifesta o pensamento e cria a realidade. Isso consta nos Upanishads. 

Nível dos Fótons

No nível dos fótons, uma intenção consciente pode mudar o comportamento dos componentes básicos da matéria. Se isso é verdade para fótons e somos compostos de fótons, também é verdade para nós. Se existe um campo suficiente de consciência no espaço, o estado da calibração eletromagnética do espaço ganha influência. Uma energia mais alta, não baseada em processos termodinâmicos.

Isso significa que a intenção humana pode influenciar as leis físicas deste espaço. Os sistemas de meridianos e chakras estão nesse estado de maior calibração eletromagnética.  Assim, as intenções enfocadas dirigidas por tal sistema podem afetar a transformação. Com uma intenção focada, a transformação é possível.

Einstein: imaginação é mais importante que conhecimento!

Tudo o que acreditamos, aceitamos, internalizamos, experimentamos contém uma enorme matriz (uma espécie de grade) que compõe nossa assinatura energética. Tudo o que aprendemos forma nossa lente de percepção, com a qual inconscientemente filtramos todas as informações da nossa visão de mundo.

Neste caso, a magia nada

mais é que uma manipulação racional de energias e leis baseadas em uma construção teórica da realidade que está além do nosso paradigma atual. Se existe um campo suficiente de consciência no espaço, o estado da calibração eletromagnética do espaço ganha influência, uma energia mais alta, não baseada em processos termodinâmicos.

Isso pode atuar em sistemas de simetria de menor calibre.  Isso significa que a intenção humana pode influenciar as leis físicas deste espaço.  Os sistemas de meridianos e chakras estão nesse estado de maior calibração eletromagnética. Assim, as intenções enfocadas dirigidas por tal sistema podem afetar a transformação.

Com uma intenção focada, a transformação é possível. Por isso é tão importante cuidar dos pensamentos seja a nível individual e coletivo. A consciência coletiva tem o poder de mudar uma possível realidade. Precisamos estar alertas ao que tentam disseminar para dominar a consciência coletiva, precisamos cuidar dos padrões de frequência para moldar a realidade a nosso favor.

Os meios de comunicação trabalham no sentido de criar uma consciência coletiva focada no medo, violência e catástrofes, seriam eles profundos conhecedores das leis da Física Quântica? Teriam eles o conhecimento de todo esse processo e estariam a serviço de uma elite que procura manter o controle sobre a humanidade mantendo o consciente coletivo em baixa vibração?

Somos o que pensamos, e o que está ao nosso redor é o próprio pensamento que projeta. Somos seres de energia, que vibra, conectados a qualquer ser com vida, somos entidades unidas a tudo que existe. Talvez a conexão entre ciência e espiritualidade seja uma perspectiva sugestiva e embora os mais ortodoxos e rigorosos não aceitem, merece ser analisada com mais atenção. Segundo a Física Quântica tudo o que é tangível e material é energia. O budismo sempre defendeu a ideia de transcender o físico para alcançar a consciência.

“Quando pensamos na possível conexão entre física quântica e espiritualidade, podemos ver que a mente não seria mais esse intruso acidental no reino da matéria, mas que se elevaria à classificação de uma entidade criadora e governadora do reino da matéria.”      (R.C.Henry – O Universo Mental)    

 

 

Tradução com adaptações: blog.joylight.koeln

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.